A FUNÇÃO DO SUBSÍNDICO E DOS CONSELHOS NO CONDOMÍNIO
Home / Administração e Gestão / Administração / A FUNÇÃO DO SUBSÍNDICO E DOS CONSELHOS NO CONDOMÍNIO
conselhos

A FUNÇÃO DO SUBSÍNDICO E DOS CONSELHOS NO CONDOMÍNIO

FFS Gestão Condimial

Em muitos momentos somos questionados sobre quais as funções dos agentes gestores do dia a dia da vida de um Condomínio, quem são os responsáveis e quais suas funções legais, tidos como auxiliares do Síndico.

Em muito, sabemos e estudamos a função do Síndico e toda sua atribuição legal, presente no Código Civil (Lei 10.406/2002) em seus artigos 1.347 e 1.348, porém, o artigo de hoje focaremos nas funções auxiliares do síndico, tais como a existência do Subsíndico e dos Conselhos Fiscal e Consultivo.

Analisando a legislação, o Código Civil não prescreveu a função do subsíndico e trouxe apenas a figura do Conselho Fiscal, no artigo 1.356, do Código Civil, cabendo a antiga legislação falar do assunto, contida na Lei 4.591/64, famosa lei de Condomínios e Incorporações Imobiliárias.

Porém, uma questão paira ao ar, o Código Civil não revogou a antiga lei que trata do assunto? Verdade é que o Código Civil parcialmente revogou a antiga lei, apenas no que tratou especificamente, já para os assuntos não tratados, manteve-se a vigência da lei anterior.

Pois bem, passamos a analisar cada função específica dos auxiliares do síndico, sendo elas: (i) Subsíndico; (ii) Conselho Consultivo e; (iii) Conselho Fiscal.

 

Subsíndico

 O cargo de subsíndico, principal auxiliar do síndico, está previsto na Lei 4.561/64, no §6º, do artigo 22, tratando que “A Convenção poderá prever a eleição de subsíndicos, definindo-lhes atribuições e fixando-lhes o mandato, que não poderá exceder de 2 anos, permitida a reeleição”.

Dessa forma, a Convenção do Condomínio delimitará a prerrogativa do subsíndico que, em grande parte dos casos, será de auxiliar do Síndico e, na sua ausência, substituí-lo, exemplificando, no caso da destituição do Síndico, caberá ao subsíndico assumir o cargo interinamente, chamando nova Assembleia imediatamente, para eleição de novo Síndico, demonstrada a tamanha importância do cargo.

Dessa forma, o subsíndico será um verdadeiro braço direito do Síndico, auxiliando-o nas funções administrativas e nas mais que a Convenção do Condomínio vier a prever, com a possibilidade, por exemplo, de apresentar relatórios ao síndico de cada sua sub gestão, reforçando a visão geral do síndico a todas as demandas importantes inerentes ao condomínio.

Portanto, caberá a cada condomínio delimitar a atuação do subsíndico e observar sua hierarquia perante o Síndico, buscando um aliado importante ao Síndico e gerando melhor eficiência em todos os serviços.

 

Conselho Consultivo

 Em continuidade aos auxiliares do Síndico, temos o quadro do Conselho Consultivo, órgão com possibilidade de criação para assessorar o Síndico na administração do condomínio.

O Conselho Consultivo está previsto pela Lei 4.591/64, em seu artigo 23 e suas atribuições estão no Parágrafo Único do mesmo artigo, tratando que “Funcionará o Conselho como órgão consultivo do síndico, para assessorá-lo na solução dos problemas que digam respeito ao condomínio, podendo a Convenção definir suas atribuições específicas”.

Sua criação é facultativa e caberá a Convenção do Condomínio determinar ou não sua existência e quais suas prerrogativas e funções.

O referido conselho funcionará para auxiliar o Síndico em sua gestão e suas decisões, sendo de grande importância que haja equilíbrio e entendimento em sua atuação, alinhados sempre com os interesses do condomínio e em benefício da gestão do síndico.

Outro fator importante será a atuação do conselho perante a assembleia geral ordinária ou extraordinária, possibilitando aos moradores ver a união entre conselho e Síndico, demonstrando, ainda, uma atuação livre do conselho, mas alinhado com os interesses do condomínio.

Ter proximidade com o Conselho Consultivo, é peça chave ao Síndico para o sucesso de sua gestão, garantindo a ele um maior controle, principalmente sendo ele Síndico Profissional e não morador do condomínio, cabendo ao Conselho Consultivo, formado por moradores eleitos, auxiliar o Síndico e buscar sua proteção e aproximação perante todos os condôminos.

 

Conselho Fiscal

Diferente do Conselho Consultivo, o Código Civil prevê a criação de um Conselho Fiscal, com previsão no artigo 1.356, que basicamente terá a função de “… dar parecer sobre as contas do síndico”.

Assim, a criação do Conselho Fiscal se dará em Assembleia, com eleição de 3 moradores, por prazo não superior a dois anos, competindo essencialmente e unicamente dar parecer sobre as contas do Síndico e suas prerrogativas são concedidas pela Convenção do Condomínio.

Portanto, a formação de uma equipe forte é peça chave para uma gestão de sucesso do Síndico, cabendo a ele com o resultado da eleição da Assembleia, buscar uma aproximação com seus auxiliares para a montagem de uma gestão democrática, honesta e eficiente, fornecendo um ambiente de paz e pleno gozo aos moradores.

Comentários do Facebook
FFS Gestão Condimial

About Paulo Costa

Paulo Costa
Advogado. Especialista em Direito Contratual pela Escola Paulista de Direito. Palestrante. Consultor Jurídico. Proprietário do Escritório Costa Silva Advocacia, com atuação em Condomínios, Direito Imobiliário e Direito de Família. T. Contato: (11) 9 7500-1398 Email: paulocarvalhoecosta@gmail.com

Check Also

ÁRVORES EM CONDOMÍNIO, CUIDADOS E ATENÇÃO AS REGRAS SOBRE CORTES E PODAS

Os síndicos precisam se atentar as regras e licenças necessárias para realizar corte e poda …

Atitude do Brasil
RSO Assessoria