COLETA SELETIVA EM CONDOMÍNIO, SAIBA COMO IMPLEMENTAR
Home / Sustentabilidade / COLETA SELETIVA EM CONDOMÍNIO
COLETA SELETIVA

COLETA SELETIVA EM CONDOMÍNIO

Coleta seletiva, não é uma moda ou tendencia, pois o descarte dos materiais utilizados é um dos maiores problemas da sociedade moderna, gradualmente, por meio da educação ambiental, as pessoas vêm se conscientizando sobre esta questão. Os princípios de reduzir, reutilizar, reciclar, vêm se tornando cada vez mais importantes na resolução deste problema e sempre é monitorado pelos moradores, como um dos requisitos da boa gestão do condomínio.

Dentro do processo de Reciclagem, a Coleta Seletiva é uma etapa fundamental, onde os resíduos recicláveis são separados dos demais resíduos, recolhidos por empresas responsáveis pela limpeza urbana.

Verifique se na região de seu condomínio a coleta será realizada em separado, ou se há alguma cooperativa que poderá retirar os produtos recicláveis.

A coleta seletiva é uma alternativa para minimizar o impacto da produção maciça de produtos na natureza, onde muitos deles levam muito tempo para se degradar, por exemplo o papel leva de três a seis meses, o filtro do cigarro e o chiclete levam cinco anos, a lata de aço de cinco a dez anos, o náilon mais de 30 anos, o plástico e o alumínio centenas de anos, o vidro mais de mil anos e a borracha leva um tempo indeterminado.

A coleta seletiva obedece a Resolução do CONAMA nº 275 de 25 de abril de 2001, que estabelece o código de cores para os diferentes tipos de resíduos:

Os mais comuns e aplicados em condomínios são:

  • Azul – papel e papelão,
  • Vermelho – plástico,
  • Verde – vidro,
  • Amarelo – metal,
  • Marrom – resíduos orgânicos,
  • Cinza – resíduo geral não reciclável ou misturado, ou contaminado não passível de separação.

Mas ainda há, o qual talvez em um segundo estagio você poderá ser mais detalhista:

  • Preto – madeira,
  • Roxo – resíduos radioativos,
  • laranja – resíduos perigosos,
  • Branco – resíduos ambulatoriais e de serviço de saúde,

Para planejar a coleta seletiva com os condôminos,Atualmente, em muitos municípios existem cooperativas, que recebem os resíduos, fazem a separação adequada, e os encaminham a empresas recicladoras dos materiais. A coleta seletiva serve para fazer a destinação correta de materiais recicláveis e não recicláveis que seriam jogados no lixo comum, indo para aterros e lixões, contribuindo ainda mais para a poluição do meio ambiente.

Quem faz a coleta desse lixo são empresas especializadas que você pode encontrar no seu município, e o que seria jogado fora vira uma nova matéria-prima.

  1. Leve o assunto em assembleia e os conscientize da importância da reciclagem. Defina um responsável para vistoriar a coleta.
  1. Analise a quantidade de detritos de acordo com o número de moradores para fazer a distribuição correta das latas de coleta.
  1. Faça o orçamento dos equipamentos necessários e escolha um local de armazenamento, de preferência limpo e fechado para evitar a aglomeração de baratas, ratos, mosquitos e mau cheiro. Pode ser a garagem, por exemplo.
  1. Reforce a ação em cada assembleia feita e deixe claro quais são os tipos de materiais recicláveis, que são:

Recicláveis

  • Papéis: jornais, revistas, caixas de papelão;
  • Plásticos: potes, copos, garrafas, sacos e sacolas, utensílios (baldes e canetas), isopor e brinquedos de plástico;
  • Metais: tampas de garrafa, latinhas de bebida e enlatados, talheres, tampas de panela sem cabo, pregos, papel alumínio e embalagens descartáveis;
  • Vidros: garrafas, potes de vidro de conserva, frascos, copos e vidros de janela;

Não recicláveis

  • Papéis: fitas e adesivos, embalagens metalizadas (salgadinhos e bolachas), papéis engordurados ou sujos (guardanapos e papel higiênico), papéis plastificados (sabão em pó), fotografias e papéis parafinados.
  • Plásticos: fraldas descartáveis, adesivos, cabos de panelas, esponjas, tomadas e plásticos termo fixos, acrílicos, papel celofane e embalagens metalizadas.
  • Metais: latas de tinta, verniz, solventes químicos e inseticidas, esponjas de aço, clipes, tachinhas e grampos.
  • Vidros: espelhos, vidros não temperados, refratários (pirex), louças de porcelana ou cerâmica, cristais, lâmpadas, vidros especiais (tampa de forno e micro-ondas) e ampolas de remédios.

É importante que todos os materiais sejam higienizados antes de serem descartados, amasse latinhas e garrafas plásticas. Óleos usados não devem ser jogados pelo ralo da pia, coloque-o em uma garrafa e leve até um coletor. Caso não seja possível, jogue a garrafa no lixo não reciclável. Pilhas e baterias também devem ter um recipiente especial, pois são tóxicos.

Dicas de como separar o lixo para coleta

  • Plástico: Lave-os para que não sobre restos do produto, principalmente no caso de detergentes e xampus, que podem dificultar a triagem e o aproveitamento do material. No caso de embalagens com tampas, retire-as;
  • Vidros: Lave-os e retire as tampas;
  • Metais: Latinhas de refrigerantes, cervejas e enlatados devem ser amassados ou prensados para facilitar o armazenamento;
  • Papéis: Podem ser guardados diretamente em sacos plásticos.

Informações importantes

  • Nunca mande pela coleta seletiva outros itens que não sejam papel, plástico, vidro e metais;
  • No caso de vidro quebrado, embale-o em um jornal para evitar possíveis acidentes ao coletor;
  • Procure enviar os produtos sempre soltos, sem nenhum material dentro, em uma sacola.
  • No caso de muitos itens, opte por abrir as caixas e reduzir o espaço, como embalagens longa vida que podem ser compactadas.

 

Comentários do Facebook

About Ronaldo Sá Oliveira

Ronaldo Sá Oliveira
Diretor da RSO ASSESSORIA, especialista em normalização atuando em mais de uma centena de comissões técnicas nos últimos anos, dentre as quais ABNT NBR 14037 – norma de manuais de entrega; ABNT NBR 5674 – norma de gestão da manutenção; ABNT 16280 – norma de reforma (autor do texto base); ABNT NBR 15575 – norma de desempenho etc. Prestador de assessoramento técnico, laudos, pareceres a condomínios e gestão de reformas É assessor técnico de grandes entidades do setor imobiliário, construção e projetos, coordenador técnico de diversos manuais técnicos do setor e colunista de diversos canais voltados a construção e gestão de empreendimentos. whatsapp 11 99578-2550 ronaldo@rsoassessoria.com.br

Check Also

TELHADO BRANCO EM CONDOMÍNIOS É UMA BOA?

TELHADO BRANCO EM CONDOMÍNIOS É UMA BOA?

O telhado branco, surgiu devido as grandes preocupações atuais da humanidade refere-se ao fenômeno do …

RSO Assessoria
Atitude do Brasil