CONTROLE DE PRAGAS E INSETOS EM CONDOMÍNIO

Na primavera e verão, os condomínios tendem contar com aumento da presença de pragas e insertos, sendo necessário um planejamento prévio para que as mesmas não se tornem um tormento na vida de  todos os ocupantes dos edifícios. Ou seja, no terceiro trimestre é o pico da ação dos animais indesejados.

Apesar do controle das pestes e insertos e seus causadores, necessitarem ser constante, nestas épocas o cuidado deve ser redobrado, a fim de evitar uma infestação, o qual torna tudo mais difícil para o retorno à normalidade posteriormente.

É recomendado que dependendo das características do condomínio o mesmo possua um contrato de prestação de serviços com uma empresa dedetizadora, para a conservação das áreas comuns do local. Os piores casos, estão ligados ao paisagismo, controle dos lixos, áreas que contribuam com a proliferação ao redor ou dentro do empreendimento etc. A periodicidade das intervenções deve ser de 6 meses, ou em locais com maiores infestações ou situação de risco a cada 4 meses ou em casos extremos a cada 3 meses.

O controle de pragas, deve constar do plano de manutenção, em conformidade com a ABNT NBR 5674 e possuir controle de suas realizações.

Contratação de empresa para controle

A resolução nº 52 da Anvisa dispõe sobre o funcionamento de empresas especializadas na prestação de serviço de controle de vetores e pragas urbanas e dá outras providências, a mesma define que “o controle de vetores e pragas urbanas seria o conjunto de ações preventivas e corretivas de monitoramento ou aplicação, ou ambos, com periodicidade minimamente mensal, visando impedir de modo integrado que vetores e pragas urbanas se instalem ou reproduzam no ambiente”, conforme Art. 6º A contratação de prestação de serviço de controle de vetores e pragas urbanas somente pode ser efetuada com empresa especializada.

Para uma contração, o prestador de serviço necessita possuir:

  • Licença de funcionamento da Vigilância Sanitária (seja estadual ou municipal)
  • Possuir responsável técnico, o qual necessita ser biólogo, engenheiro agrônomo, engenheiro florestal, médico veterinário, químico ou farmacêutico ou que faça parte do quadro de funcionários da empresa
  • A empresa necessita ser registrada no conselho profissional do responsável técnico
  • Possuir CNPJ e sede em imóvel não seja utilizado para outros fins que não o de sede da empresa sendo vedada a instalação do estabelecimento operacional em prédio ou edificação de uso coletivo, seja comercial ou residencial, e em áreas adjacentes a residências ou locais de alimentação, creches, escolas e hospitais, atendendo às legislações relativas à saúde, segurança, ao ambiente e ao uso e ocupação do solo urbano

A empresa que prestar os serviços deve fornecer ao cliente o comprovante de execução de serviço contendo, no mínimo, as seguintes informações:

  1. Nome do cliente;
  2. Endereço do imóvel;
  3. Praga(s) alvo; IV – data de execução dos serviços;
  4. Prazo de assistência técnica, escrito por extenso, dos serviços por praga(s) alvo;
  5. Grupo(s) químico(s) do(s) produto(s) eventualmente utilizado(s);
  6. nome e concentração de uso do(s) produto(s) eventualmente utilizado(s);
  7. orientações pertinentes ao serviço executado;
  8. Nome do responsável técnico com o número do seu registro no conselho profissional correspondente;
  9. Número do telefone do Centro de Informação Toxicológica; e
  10. identificação da empresa especializada prestadora do serviço com: razão social, nome fantasia, endereço, telefone e números das licenças sanitária e ambiental com seus respectivos prazos de validade.

Dedetização não é função de zelador

Na busca pela economia alguns síndicos, ordena que seus zeladores executem serviços com material químico. Além da ilegalidade e dos riscos à saúde devido ao manuseio de produto tóxico, permitir que o zelador realize esse trabalho pode incidir em demandas trabalhistas por insalubridade.
A indenização possuir valores que vão muito além da economia, além do risco a vida do funcionário, por não possuir treinamento dos riscos e modo e realização dos trabalhos. Também a aquisição de produtos para desinsetização é restrita a empresas registradas para esta função, ou seja, o condominio fará algo ilegal.

Prevenção de pestes e insetos em condomínio

A melhor maneira de realizar o controle de pragas em condomínios é investir em prevenção, ou seja, a ação preventiva mais uma vez se evidencia como a mais barata e segura além de evitar um agravamento de uma eventual infestação a qual terá riscos a saúde dos ocupantes do empreendimento.

Elencamos algumas ações que o condominio deve manter para contribuir no controle de pragas e insertos:

  • Os pombos tendem a tentar criar morada nas coberturas, para isto os acessos a pequenos vão devem ser fechados com telas ou sistemas que impeçam a locação dos pombos;
  • Conscientizar os condôminos e os demais usuários sobre a importância do controle de pragas, de modo a gerir os lixos ou quaisquer forma que atraia as pragas;
  • Manter o paisagismos do condomínio com plantas baixas para evitar o aparecimento de mosquitos e pernilongos;
  • Manter as grelhas do condomínio limpas, desentupidas e com telamento, impedindo que as baratas apareçam e as transpassem;
  • Manter as tampas dos ralos e dos bueiros fechadas.
  • Exigir das empresa de jardinagem ações de controle de pragas, especialmente de formigas;
  • Realizar a limpeza e a higienização das caixas d’água com frequência;
  • Recolher sobras de alimentos após o uso de churrasqueiras e outras áreas comuns;
  • Ter um local específico para depósito de lixo e orientar os moradores a utilizarem o local apropriado, sendo que o local de deposito de lixo seja revestido de azulejo, inclusive no teto, de modo a facilitar a limpeza e lavagem constante;

Dedetizar é uma das maneiras de prevenção, aonde um pacote anual pode ser muito mais barato do que agir em casos extremos de forma avulsa. Antes de tomar ações solicite avaliação da situação à prestadora a qual irá realizar os trabalhos.  

Principais de pestes e insetos em condomínio

Ratos e ratazanas

Os mesmos são atraídos por comida fácil e à disposição deles. Como não fazem toca dentro das casas, acabam voltando apenas porque encontraram alimentos, para instalar no local, procuram entulhos e lixo acumulado.

É recomendado a organização do lixo. Não permita que sacolas plásticas ou lixos sejam deixados no chão, pois os ratos procuram comida e podem rasgar facilmente.

Pombos

Uma das maiores pragas do dia a dia, os quais além do barulho e sujeira, podem transmitir doenças pelas fezes (toxoplasmose é um dos exemplos). O lugar preferido dos mesmos para seus ninhos é no telhado, para evitar faça vistorias mensalmente e divulgue a todos que não deem alimentos para os mesmos; 

No caso do problema já existente , atenção pois o acúmulo de fezes pode trazer sérios problemas para os seres humanos e a limpeza demanda cuidados especiais de modo a evitar a contaminação por contato ou vias respiratórias.

Formigas

Apesar de seu pequeno tamanho, as mesmas sempre causam problemas aos ocupantes, por serem em alguns momento imperceptíveis no tamanho, seja pela proliferação de doenças, picadas ou problemas nos sistemas do edifício. As mesmas normalmente são atraídas por farelos e restos de comida ou lixo. Se mesmo assim elas forem vistas, identificar o percurso das formigas e localizar fendas e orifícios e proceder controle no ponto de para evitar a proliferação, não basta simplesmente tampar, pois as mesmas podem achar novos caminhos e abrir novas fendas.

Baratas

As mesmas gostam de locais escuros, úmidos e quentes, por exemplo ralos e caixas de gordura. No caso de terreno baldio ao lado do condominio, provavelmente elas se instalarão lá e farão visitas ao  seu condominio. Neste caso contate a Vigilância Sanitária para que tomem providencias legais.

Comentários do Facebook
Ronaldo Sá Oliveira
Sobre Ronaldo Sá Oliveira 243 Artigos
Diretor da RSO ASSESSORIA e PORTAL CONDOMINIO EM ORDEM CEO, especialista em normalização atuando em mais de uma centena de comissões técnicas nos últimos anos, dentre as quais ABNT NBR 14037 – norma de manuais de entrega; ABNT NBR 5674 – norma de gestão da manutenção; ABNT 16280 – norma de reforma (autor do texto base); ABNT NBR 15575 – norma de desempenho, ABNT NBR 16747 de inspeção predial etc. Prestador de assessoramento técnico, laudos, pareceres a condomínios e gestão de reformas. É assessor técnico de grandes entidades do setor imobiliário, construção e projetos, coordenador técnico de diversos manuais técnicos do setor e colunista de diversos canais voltados a construção e gestão de empreendimentos. whatsapp 11 99578-2550 ronaldo@rsoassessoria.com.br