DESVALORIZAÇÃO EM DECORRÊNCIA DA FALTA DE MANUTENÇÃO
Home / Administração e Gestão / Administração / DESVALORIZAÇÃO EM DECORRÊNCIA DA FALTA DE MANUTENÇÃO

DESVALORIZAÇÃO EM DECORRÊNCIA DA FALTA DE MANUTENÇÃO

FFS Gestão Condimial
P&D Serviços

Conforme ABNT NBR 14653-1(Avaliação de bens – Parte 1: Procedimentos gerais) o valor dos imóveis, entre outros itens, sofre desvalorização em decorrência da depreciação, a qual em suma, está atrelada a falta de manutenção.

Ou seja, quando um condomínio demanda, de ações de manutenção ou gestão das reformas as mesmas são negligenciadas, isto acarreta em desvalorização do patrimônio de todos os proprietários de frações ideais.

 

Quando realizar manutenções

Não é incomum, nos depararmos com edifícios que somente executam ações quando o sistema já está apresentando problemas, ou seja de forma corretiva, onde além do custo direto da obra ser maior, e haver impacto na segurança, acarreta na desvalorização do imóvel como um todo.

Sem dúvida a falta de manutenção é um dos grandes fatores que influenciam a desvalorização de imóvel, onde o motivo é que é de fácil identificação até mesmo por um corretor, portanto qualquer pessoa que estiver visitando o local conseguirá ter esta percepção. Onde ninguém vai querer morar em um lugar com uma aparência ruim.

 

Em muitos casos, a falta de manutenção vai além da estética, pois compromete a estrutura ou sistemas e coloca em risco a segurança dos moradores. Nesse caso, o proprietário pode ficar impedido de alugá-la e terá enorme dificuldade em qualquer tipo de comercialização.

Outro ponto que acarreta desvalorização são as reformas urgentes em decorrência da falta de cuidados com o edifício, havendo demanda grandes investimentos para recuperação, problemas estes que poderiam ser evitadas com manutenções periódicas.

Portanto, exija que seu síndico mantenha as áreas conservadas, pois caso contrário, no momento da venda, o único atrativo que seu imóvel terá será o menor valor. E quando houver assuntos atrelados a manutenção, não os identifiquem como gastos e sim como investimento de seu patrimônio.

No caso de conselhos que inibem as ações de manutenção, sob alegação de que são gastos o mesmo devem ser repensados, pois o sindico poderá responder civil e criminalmente por negligencia e não atendimento de suas atribuições.

 

Perda de garantia é igual desvalorização

Para edifícios novos, a perda das garantias em decorrência de falta de manutenções ou implementação do plano, como prescreve o manual das áreas comuns dos edifícios, acarretam desvalorização na ordem de 15% no valor do imóvel, conforme descreve alguns especialistas.

 

Como fazer a coisa certa

A melhor maneira de saber como colocar CONDOMÍNIOS EM ORDEM, é por meio de uma inspeção predial, a qual irá identificar os principais problemas e elencar as situações mais criticas e que necessidade mais urgente de reparos, os quais por meio de um plano de manutenção continuado e assessorado por profissional habilitado, contribuirá para a reconstituição dos valores de seus patrimônio.  No caso de imóveis novos o próprio manual das áreas comuns descreve as manutenções e não é necessária a inspeção predial.

O investimento desta maneira é uma pequena fração do valor de desvalorização do imóvel e com certeza contribuirá e muito na valorização e velocidade da comercialização das unidades.

Com as informações em mãos o próximo caminho é implementação do plano de manutenção em conformidade com a ABNT NBR 5674, norma de manutenção.

 

Falta de padronização e seu impacto na valor do imóvel

Outro ponto que contribui muito com a desvalorização do patrimônio, são reformas realizadas que alteram áreas visíveis ou desempenho em sistemas. por exemplo retiradas de paredes de uma unidade privativa, também contribui com o desempenho acústico de todo o edifício. Ou troca de janelas, fechamentos de terraço, sem padronização. Ou seja, a gestão do condomínio quanto aos aspectos técnicos e padronização tem impacto direto no valor das frações ideais.

Comentários do Facebook
P&D Serviços
FFS Gestão Condimial

About Ronaldo Sá Oliveira

Ronaldo Sá Oliveira
Diretor da RSO ASSESSORIA, especialista em normalização atuando em mais de uma centena de comissões técnicas nos últimos anos, dentre as quais ABNT NBR 14037 – norma de manuais de entrega; ABNT NBR 5674 – norma de gestão da manutenção; ABNT 16280 – norma de reforma (autor do texto base); ABNT NBR 15575 – norma de desempenho etc. Prestador de assessoramento técnico, laudos, pareceres a condomínios e gestão de reformas É assessor técnico de grandes entidades do setor imobiliário, construção e projetos, coordenador técnico de diversos manuais técnicos do setor e colunista de diversos canais voltados a construção e gestão de empreendimentos. whatsapp 11 99578-2550 ronaldo@rsoassessoria.com.br

Check Also

sindico

SÍNDICO NÃO É SUPER HERÓI, CONTE COM ASSESSORAMENTO

Para muitos o síndico é o chefe do condomínio e responsável por tudo que lhe …

Atitude do Brasil
Condominio em Ordem