ETE – ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE EFLUENTES

Esta Infraestrutura trata as águas residuais para posterior escoamento através de um emissário com um nível de poluição aceitável, rx conforme a legislação vigente para o meio ambiente receptor. A infraestrutura é dividida em: pré-tratamento, salve tratamento primário, tratamento secundário, tratamento terciário, remoção de nutrientes e desinfecção.

Os processos de tratamento são classificados em físicos, químicos e biológicos, conforme a natureza dos poluentes a serem removidos e/ou das operações unitárias utilizadas para o tratamento.

Os Processos físicos, removem os sólidos em suspensão sedimentáveis e flutuantes por meio da separação física, tais como gradeamento, peneiramento, caixas separadoras de óleos e gorduras, sedimentação e flotação. Neste processo também removem a matéria orgânica e inorgânica em suspensão coloidal e reduzem ou eliminam a presença de microrganismos por meio de processos de filtração em areia ou em membranas (microfiltração e ultrafiltração), também possuem a finalidade de desinfecção, tais como a radiação ultravioleta.

Os Processos químicos utilizam produtos químicos em seu processo, tais como, agentes de coagulação, floculação, neutralização de pH, oxidação, redução e desinfecção em diferentes etapas dos sistemas de tratamento e conseguem remover os poluentes por meio de reações químicas, além de condicionar a mistura de efluentes que será tratada nos processos subsequentes.

Seus principais processos são a clarificação química (remove matéria orgânica coloidal, incluindo coliformes), a eletrocoagulação (remove matéria orgânica, incluindo compostos coloidais, corantes e óleos/ gorduras), precipitação de fosfatos e outros sais (remoção de nutrientes), pela adição de coagulantes químicos compostos de ferro e ou alumínio, cloração para desinfecção, oxidação por ozônio, para a desinfecção, redução do cromo hexavalente, oxidação de cianetos, precipitação de metais tóxicos e troca iônica.

Os Processos biológicos de esgotos e efluentes industriais tem o objetivo de remover a matéria orgânica dissolvida e em suspensão ao transformá-la em sólidos sedimentáveis (flocos biológicos) e gases. Basicamente, o tratamento biológico reproduz os fenômenos que ocorrem na natureza, mas em menor tempo.

O uso do sistema de estação de tratamento de efluentes, demanda cuidados em seu uso como por exemplo:

  • Nunca despejar gordura ou resíduo sólido nos ralos de pias ou lavatórios;
  • Não utilizar, para eventual desobstrução do esgoto, hastes, água quente, ácidos ou similares.
  • Não puxar as bombas submersas pelo cabo de força, de modo a não o desconectar do motor;
  • Não apertar em demasia os registros;
  • Durante a instalação de equipamentos, atentar-se ao excesso de aperto nas conexões, de modo a evitar danos aos componentes.

 

PRINCIPAIS NORMAS TÉCNICAS A SEREM ATENDIDAS EM QUALQUER INTERVENÇÃO NO SISTEMA

  • ABNT NBR 7229 – Projeto, construção e operação de sistemas de tanques sépticos.
  • ABNT NBR 7367 – Projeto e assentamento de tubulações de PVC rígido para sistemas de esgoto sanitário.
  • ABNT NBR 8160 – Sistemas prediais de esgoto sanitário – Projeto e execução.
  • ABNT NBR 9649 – Projeto de redes coletoras de esgoto sanitário – Procedimento.
  • ABNT NBR 12207 –Projeto de interceptores de esgoto sanitário – Procedimento.
  • ABNT NBR 13969 – Tanques sépticos – Unidades de tratamento complementar e disposição final dos efluentes líquidos – Projeto, construção e operação.
  • ABNT NBR 14486 – Sistemas enterrados para condução de esgoto sanitário – Projeto de redes coletoras com tubos de PVC.
Comentários do Facebook
Ronaldo Sá Oliveira
Sobre Ronaldo Sá Oliveira 243 Artigos
Diretor da RSO ASSESSORIA e PORTAL CONDOMINIO EM ORDEM CEO, especialista em normalização atuando em mais de uma centena de comissões técnicas nos últimos anos, dentre as quais ABNT NBR 14037 – norma de manuais de entrega; ABNT NBR 5674 – norma de gestão da manutenção; ABNT 16280 – norma de reforma (autor do texto base); ABNT NBR 15575 – norma de desempenho, ABNT NBR 16747 de inspeção predial etc. Prestador de assessoramento técnico, laudos, pareceres a condomínios e gestão de reformas. É assessor técnico de grandes entidades do setor imobiliário, construção e projetos, coordenador técnico de diversos manuais técnicos do setor e colunista de diversos canais voltados a construção e gestão de empreendimentos. whatsapp 11 99578-2550 ronaldo@rsoassessoria.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.