NÃO SEJA ENGANADO, SAIBA DIFERENÇA ENTRE LIMPEZA, DESINFECÇÃO, HIGIENIZAÇÃO, SANITIZAÇÃO E ESTERILIZAÇÃO

Uma prática comum em condomínios, em todos os serviços, é contar com a falta de conhecimento de alguns para ganhar concorrência usando termos que alguns imaginam ser a mesma coisa, mas que na verdade não são, levando o contrate ao erro e compra de um solução que não atenderá sua necessidade.

Com a pandemia que vivemos atualmente, e necessidade de ampliar ainda mais a limpeza e esterilização de áreas, surgem dúvidas a respeito de como efetuar de forma adequada ações que garantam que os ambientes estejam aptos a uso e qual procedimento é o mais indicado.

Atualmente, a limpeza tem sido uma das principais armas de tentar conter a proliferação do vírus, mas ao confrontar propostas das empresa o síndico possui dificuldade de diferenciar os termos entre limpeza, desinfecção, higienização, sanitização e esterilização e muitos outros usados.

A CONDOMINIO EM ORDEM, lista os termos e suas definições em conformidade com a ABRALIMP Associação Brasileira do Mercado de Limpeza, a qual descreve que:

CONSERVAÇÃO:

Consiste em manter as características do produto durante a vida útil de armazenamento (vida de prateleira) à temperatura indicada no rótulo, assegurando a sua estabilidade e/ou esterilidade adquirida durante sua utilização.

DESCONTAMINAÇÃO:

Conjunto de operações de limpeza, de desinfecção ou /e esterilização de superfícies contaminadas por agentes indesejáveis e potencialmente patogênicos, de maneira a tornar estas superfícies barreiras efetivas que minimizem qualquer tipo de contaminação cruzada.

DESINFECÇÃO:

Uso e na aplicação de um desinfetante de uso geral, produto que busca eliminar das superfícies 99,999% dos germes, bactérias e vírus, assim como o Covid-19, reduzindo-os a níveis não patogênicos, com um tempo médio de contato de 10 minutos.

ESTERILIZAÇÃO:

Para um ambiente significa efetuar a limpeza por meio de processos físicos ou químicos restritos, sendo um processo utilizado geralmente em situações em que é necessária a esterilização de salas cirúrgicas de hospitais, por exemplo, e locais que exigem segurança completa e elimina eliminação 100% dos microrganismos.

HIGINENIZAÇÃO:

Corresponde ao processo que envolve a limpeza seguida da desinfecção, portanto será realizada uma limpeza, retirando as sujidades do ambiente, e na sequência irá aplicar desinfetante, realizando uma desinfecção.

LIMPEZA:

É a remoção da sujeira de superfícies. Se utilizar um produto químico no processo convencional de limpeza, com esfregação e enxágue, há uma redução de até 60% de microbiologia. Somente a limpeza não é o suficiente para eliminar vírus e bactérias.

SANITIZAÇÃO:

Sendo a mais apropriada para indústria alimentícia, prevê o uso de sanitizantes específicos, que eliminam níveis de componentes microbiológicos. Esse processo não se aplicaria ao dia a dia e elimina 100 vezes menos microrganismos que na desinfecção.

Para condomínios e ambientes residenciais e empresas em geral, os especialistas recomendam o processo de HIGIENIZAÇÃO, ou seja, uma limpeza seguida de desinfecção.

Após esta explanação, muitos devem até ter aumentado as dúvidas, mas em resumos ressaltamos a importância da limpeza, aonde em seu nível mais básico e necessário mesmo em locais que requerem criteriosos rituais de descontaminação.

MISTURA DE PRODUTOS DE LIMPEZA E SEUS RISCOS

Outro assunto importante a tratar no momento da limpeza das áreas do condominio, diz respeito ao risco da mistura de produtos de limpeza, os quais por serem produtos químicos, podem reagir entre si e formar um terceiro produto, muitas vezes tóxicos e com riscos à saúde de quem tem contato, conforme orientação da prefeitura de São Bernardo do Campo, a qual agradecemos, por exemplo:

  • água sanitária + álcool = clorofórmio, causa problemas nos pulmões, fígado, rins e na pele. Prejudicando os olhos, o sistema nervoso e causa enjoo
  • água sanitária + álcool = cloreto de hidrogênio, irrita os olhos, nariz e as vias respiratórias superiores, é altamente toxico e corrosivo
  • água sanitária + vinagre = cloro gasosos, altamente toxico
  • água sanitária + desinfetante=tricloramina, causa asfixia e queimaduras nas vias respiratórias. Tomar cuidado ao lavar ambientes fechados

No dia-a-dia, esses procedimentos devem ser adotados quando realmente necessário e com muito cuidado para que sejam efetivos. O importante mesmo é que, se nesse momento em que estamos com medo de um vírus, conseguirmos adquirir hábitos que se mantenham mesmo após o fim da pandemia (como o simples ato de lavar as mãos), muitas outras doenças, como a diarreia, podem ser evitadas também.

Comentários do Facebook
Ronaldo Sá Oliveira
Sobre Ronaldo Sá Oliveira 243 Artigos
Diretor da RSO ASSESSORIA e PORTAL CONDOMINIO EM ORDEM CEO, especialista em normalização atuando em mais de uma centena de comissões técnicas nos últimos anos, dentre as quais ABNT NBR 14037 – norma de manuais de entrega; ABNT NBR 5674 – norma de gestão da manutenção; ABNT 16280 – norma de reforma (autor do texto base); ABNT NBR 15575 – norma de desempenho, ABNT NBR 16747 de inspeção predial etc. Prestador de assessoramento técnico, laudos, pareceres a condomínios e gestão de reformas. É assessor técnico de grandes entidades do setor imobiliário, construção e projetos, coordenador técnico de diversos manuais técnicos do setor e colunista de diversos canais voltados a construção e gestão de empreendimentos. whatsapp 11 99578-2550 ronaldo@rsoassessoria.com.br