CONFLITO EM CONDOMÍNIO, HÁ UM PROFISSIONAL PARA AJUDAR

conflito

A boa convivência sem conflito entre moradores de um condomínio depende de uma relação de respeito mútuo e de um ambiente pacífico, onde cada um possa se sentir a vontade, sem que isto represente um incomodo aos demais moradores do local.

Às vezes, pela falta de uma comunicação correta, podem surgir conflitos entre moradores, ou até mesmo entre moradores e funcionários, estes  conflitos começam pequenos, seja por uma cara feia ou um resmungo no elevador, e se não for bem resolvido pode acabar crescendo, tornando-se uma agressão verbal, uma agressão física e até mesmo atitudes mais agressivas, tomadas no calor de uma discussão.

Muitas vezes, estes conflitos geram danos materiais e até mesmo físicos, quando então uma atitude mais formal é tomada, seja ela a contratação de um advogado ou a intervenção da polícia. E isto pode acabar até mesmo causando boatos, reportagens, má divulgação das notícias, até a desvalorização dos imóveis do condomínio! Mas como evitar isto?

A CONDOMÍNIO EM ORDEM recomenda que para estes casos, seja chamado um mediador logo que se identificar o início deste desentendimento! Ele é um profissional capacitado para buscar a retomada da conversa entre as partes em conflito através de técnicas e procedimentos específicos, onde se busca encontrar uma solução para o conflito com a ajuda de um terceiro neutro ao tema, em que as duas partes sintam-se confortáveis e envolvidas com o resultado desenvolvido.

E por fazerem parte da busca da solução, estas responsabilizam-se com mais facilidade com o que foi acordado com a outra parte, durante o trabalho do mediador.

O mediador pode ser chamado a atuar no condomínio sempre que se identificar o início de um conflito, de uma atitude hostil, principalmente naqueles casos em que nenhum dos lados está totalmente certo ou errado, criando soluções alternativas e criativas, para trazer de volta a boa convivência entre estes dois condôminos, ou o condômino e o funcionário, entre dois funcionários…

Afinal, viver em condomínio não é fácil, exige regras de conduta, um pouco de paciência e muito bom senso! E este papel de pacificador não cabe ao porteiro, ao zelador ou à administração, que não tem formação específica para isto, e que às vezes até mesmo eles podem estar envolvidos no conflito!

O objetivo é atender aos interesses tanto das pessoas envolvidas diretamente quanto de toda a comunidade que mora e trabalha no condomínio. Para os assuntos mais simples, em uma única reunião realizada no próprio condomínio é possível se chegar ao acordo. Para assuntos mais complicados, podem ser necessárias mais reuniões, até mesmo individuais com cada parte, antes de se chegar à solução.

Afinal, quem não prefere morar em um condomínio pacífico? Pense nisso, e converse com um mediador para entender melhor como isto funciona. Você vai ver que existe uma alternativa rápida e com baixo custo para a pacificação do seu condomínio.

 

Comentários do Facebook
Barbara Kelch Monteiro
Sobre Barbara Kelch Monteiro 9 Artigos
Mediadora habilitada pelo CNJ - Conselho Nacional de Justiça Especialização em Mediação Empresarial Especialização em Mediação Condominial Membro da Câmara Privada Mediar Consenso Membro do DRBF - Dispute Resolution Board Foundation - USA Contato: mediar@kelchconsultoria.com.br