SISTEMAS DE EXAUSTÃO MECÂNICA DE SEU EDIFÍCIO

exaustão

SISTEMA EXAUSTÃO DE FUMAÇA DE INCÊNDIO

Cerca de 80% das mortes decorrentes de um incêndio são causadas pelos gases tóxicos liberados pela fumaça, por esta razão é extremamente importante que o sistema de exaustão de incêndio de seu edifício esteja em ordem para uma eventualidade a qualquer momento.

A fumaça liberada pelo incêndio consegue tomar todo o edifício em poucos minutos, já que sua temperatura é muito mais elevada do que a temperatura ambiente. Isso faz com que os gases tóxicos atinjam os até os locais mais longes rapidamente, impedindo que as pessoas possam se retirar do local a tempo.

É por isso que o corpo de bombeiros exige que haja um sistema de controle exaustão da fumaça de incêndio. Este sistema evita que a fumaça e seus gases tóxicos tomem conta do local, fazendo a extração assim que for identificado um princípio de fogo.

COMO FUNCIONA

O sistema de controle exaustão da fumaça de incêndio está ligado com o sistema de detecção e alarme e assim que os detectores identificam algum indício de fogo no local, ele manda um sinal para o sistema de exaustão para que ele seja ativado imediatamente.

É neste momento que os ventiladores começam a insuflar o ar externo enquanto os exaustores fazem o trabalho de extrair a fumaça e os gases tóxicos do ambiente. Isso é importante para dar melhores condições de fuga para quem está confinado e também para proporcionar melhores chances de visibilidade para os soldados do corpo de bombeiros combaterem o incêndio.

Para assegurar o bom funcionamento do sistema de controle exaustão da fumaça de incêndio é preciso contar com um plano de manutenções periódicas preventivas e corretivas, a fim de identificar possíveis falhas a tempo de garantir a maior segurança em uma eventual ocorrência de incêndio.

OUTROS SISTEMAS DE EXAUSTÃO

Alem do sistema contra fumaça de incêndio, o condomínio, possui outros diversos sistema que por meio mecânico tem como objetivo de retirada de odores, vapores, troca de calor, ventilação, segurança dos trabalhadores e renovação do ar, em um condomínio, seja nas áreas comuns ou dos proprietários, havendo necessidade em um ambiente, para renovação do ar, mas que não há como fazer por janelas, são instalados sistemas mecânicos que efetuam a troca do ar, em piscinas cobertas, o sistema é extremamente importante, de modo a manter as condições do ambiente, assim como em banheiros, lavabos e vestiários que não possuem janelas e cozinhas, este em especifico, possui a norma ABNT NBR 14518 com uma serie de diretivas especificas para o tema.

Também em edificações que possuem lareira, ou churrasqueiras, sistemas mecânicos são instalados para que haja a retirada de fumaça e em especial nas garagens.

Todos estes sistemas necessitam de atenção, e manutenção de modo a garantir sua funcionalidade as quais elencamos abaixo:

De modo geral, para manutenção, tomar os cuidados com a segurança e saúde das pessoas responsáveis pelas atividades, desligando o fornecimento geral de energia do sistema e controlando o acesso aos locais por equipe capacitada e no caso de energia elétrica em consonância ao descrito na NR 10 do Ministério do trabalho.

 

PISCINAS COBERTAS

  • Seguir as instruções do fabricante do equipamento;
  • Não obstruir as entradas e saídas de ventilação e dutos de ar;
  • Manter o equipamento em funcionamento sempre que o sistema de aquecimento estiver ativado, para evitar o acúmulo de gases de produtos químicos no ambiente;
  • Recomenda-se o desligamento do sistema no período noturno, desde que o sistema de aquecimento não esteja em uso;
  • Manter as aletas das grelhas de exaustão limpas;
  • O sistema de exaustão poderá ser desligado nos períodos longos de não uso da piscina (sistema de aquecimento desligado), desde que esta esteja coberta com capas de retenção de calor, a fim de evitar a dissipação de gases.

 

CHURRASQUEIRAS e LAREIRAS

  • Dutos que possuam dumper deverão ser abertos durante o tempo de utilização da churrasqueira e fechados ao término, após ajuste da temperatura do local;
  • Não obstruir as entradas e saídas de ventilação e dutos de ar;
  • No caso de sistema unificado de exaustão, deverá ser comunicado ao responsável pelo acionamento do sistema com antecedência mínima de 15 minutos do início do uso e 30 minutos após a utilização, com a extinção do fogo, para o perfeito funcionamento do sistema.

 

BANHEIROS, LAVABOS E VESTIÁRIOS

  • Não obstruir as entradas e saídas de ventilação e dutos de ar;
  • Manter a limpeza dos componentes conforme especificação do fabricante.

Em alguns lugares do Brasil, há legislação especifica para o assunto, por exemplo no rio de janeiro o mesmo o tema é descrito no Decreto n. º 22281 de 19 de novembro 2002

A ausência de circulação de ar gera sérios problemas de saúde, em condomínios, o tema um dos pontos de maior impacto são as garagens onde o projeto arquitetônico não possui uma solução natural para saída dos gases, e onde os projetos de exaustão são deficitários

 

SISTEMAS DE EXAUSTÃO EM GARAGENS

Não é muito difícil perceber a ausência de saídas de ar em algumas garagens localizadas no subsolo de edifícios residenciais e comerciais, onde o problema gera acúmulo de gases nocivos à saúde liberados pelos automóveis, podendo causar desmaios ou até amor aos ocupantes desta área, portanto todo cuidado é pouco.

A concentração do monóxido de carbono pode ser resolvida por meio da instalação e perfeito funcionamento de sistemas de ventilação, lembrando que é preciso haver uma abertura de entrada e outra de saída no lado oposto, ou por meio de exaustão mecânica, que é um sistema que troca o gás nocivo pelo ar puro do ambiente externo. Outro malefício que os gases liberados pelos veículos podem trazer está relacionado ao próprio prédio. Por serem corrosivos, eles podem prejudicar consideravelmente a estrutura da edificação.

O Monóxido de Carbono (CO) é um gás levemente inflamável, incolor, inodoro e muito perigoso devido à sua grande toxicidade. É produzido pela queima em condições de pouco oxigênio (combustão incompleta) e/ou alta temperatura de carvão ou outros materiais ricos em carbono, como derivados de petróleo.

Todas as pessoas e animais estão em risco de envenenamento por monóxido de carbono. Os sintomas mais comuns deste são dores de cabeça e no peito, tonturas, confusão, fraqueza, náuseas e vômitos, que podem facilmente ser confundidos com outras enfermidades (por exemplo constipação ou intoxicação alimentar), e em casos mais graves pode ocorrer perda da consciência e morte. Pode haver também, a longo prazo, sequelas cardíacas e neuronais posteriores a uma intoxicação.

Comentários do Facebook
Ronaldo Sá Oliveira
Sobre Ronaldo Sá Oliveira 243 Artigos
Diretor da RSO ASSESSORIA e PORTAL CONDOMINIO EM ORDEM CEO, especialista em normalização atuando em mais de uma centena de comissões técnicas nos últimos anos, dentre as quais ABNT NBR 14037 – norma de manuais de entrega; ABNT NBR 5674 – norma de gestão da manutenção; ABNT 16280 – norma de reforma (autor do texto base); ABNT NBR 15575 – norma de desempenho, ABNT NBR 16747 de inspeção predial etc. Prestador de assessoramento técnico, laudos, pareceres a condomínios e gestão de reformas. É assessor técnico de grandes entidades do setor imobiliário, construção e projetos, coordenador técnico de diversos manuais técnicos do setor e colunista de diversos canais voltados a construção e gestão de empreendimentos. whatsapp 11 99578-2550 ronaldo@rsoassessoria.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.