SUSTENTABILIDADE NO CONDOMÍNIO CUIDADO COM EXCESSOS

sustentabilidade

Sobre sustentabilidade, vamos iniciar este artigo, esclarecendo que somos favoráveis as ações e acreditamos que as mesmas podem trazer excelentes resultados e benefícios a todos em condomínios e ao mundo que nos rodeia.

Acreditamos que as boas ações, que são resultados de pesquisa, com resultados comprovados e desempenho satisfatório e se possível que gerem economia é o tipo de ação que gostaríamos de ver acontecer com mais constância na vida dos condomínios.

Mas a realidade tem um outro lado, nos últimos anos temos atuado em diversas frentes para melhoria na gestão de condomínios, assim como validação de boas práticas para contribuir no fomento do tema a toda sociedade, mas infelizmente as vezes nos deparamos com ações que no papel parecem ótimas, mas que quando aplicadas podem resultar em enormes riscos à saúde, ou ser ineficiente quanto ao resultado proposto, levando o síndico ao equívoco de gastos que acabam por serem inúteis ao condomínio.

A sustentabilidade por ser uma tendência cada vez mais forte entre os condomínios, sejam eles comerciais ou residenciais, com várias possibilidades, desde a implantação de medidas relativamente simples, como coleta seletiva de lixo ou reuso de água da chuva, até a instalação de programas completos de sustentabilidade, com a ajuda de profissionais especializados, as regras valem tanto para condomínios já estabelecidos quanto para imóveis novos.

Caso seu condomínio deseje implementar boas práticas sustentáveis, recomendamos buscar assessoramento, com profissionais qualificados, e que possam realizar um projeto, com responsabilidades definidas, e resultados mensuráveis no momento da contratação, a qual deverá estar caucionada este atendimento.

O trabalho, sempre se iniciará com diagnóstico, para determinar o nível de sustentabilidade que o condomínio já possui e o que pode ser feito para aumentá-lo, reduzindo custos e melhorando os ambientes para os condôminos.

O controle do tabaco, a coleta seletiva, a utilização de metais sanitários eficientes, a implantação de capachos especiais para contenção da poeira em todas as entradas e a limpeza “verde”, com o uso de produtos sem cloro, são passos simples, porém importantes para a adesão à sustentabilidade.

Os custos de implementação e estudo de taxa de retorno, deverá estar bem claro, cabendo ao condomínio, a implementação da proposta, sempre caucionada ao resultado.

As questões mais atualmente implementadas em condomínios, com sucesso são:

  • Racionalização no consumo da água: implantação de medidas de consumo racional, como torneiras e válvulas de descargas eficientes, controle de consumo por área (sanitários, paisagismo etc.), reuso da água da chuva, implantação de paisagismo com baixas necessidades hídricas e irrigação controlada, além de medidores individuais.
  • Qualidade do ar no interior do condomínio: proibição do fumo nas áreas internas do empreendimento e nas áreas externas próximas às entradas, utilização de tintas, colas, vernizes e carpetes com baixa emissão de compostos orgânicos voláteis, instalação de sensores de CO2 em áreas de grande concentração de pessoas.
  • Desempenho de energia: medidas de acompanhamento da performance dos sistemas e gerenciamento do consumo, treinamento para a equipe que garanta a otimizada dos sistemas, compra de equipamentos de baixo consumo (em caso de novas aquisições), que tenham selos Procel ou Energy Star. Além disso, também é possível verificar a possibilidade de comprar energias renováveis (eólica, solar fotovoltaica, solar térmica, biomassa, PCH) que causem baixo impacto ambiental, seja por geração local ou através de compra de produtores, e estabelecer um procedimento para documentar as reduções de emissão de CO2.
  • Implantar um Manual de Boas Práticas preditivas, que pode ser distribuído aos condôminos.
  • Implantar uma política de compras e de limpeza sustentável: utilizar produtos de limpeza de baixa toxicidade e adquirir equipamentos eficientes; implantar capachos especiais para contenção da poeira em todas as entradas; estabelecer procedimento para garantia do desempenho acústico mínimo; estabelecer procedimento para a documentação de impacto na produtividade; em alguns casos, estabelecer procedimento para a criação sala (s) de alívio e recuperação.
  • Estabelecer procedimento para criação de espaços com acessibilidade universal;
  • Implantar uma política de reciclagem de lixo, com separação, armazenagem e coleta de quaisquer tipos de recicláveis.

As vantagens que o condomínio tem com a implementação de um programa de sustentabilidade interno são inúmeras, sendo a principal a redução de custos, graças principalmente à otimização energética e ao melhor aproveitamento da água. Os impactos na vida dos moradores vão desde a saúde, por meio da utilização de materiais com baixos índices de Compostos Orgânicos Voláteis [poluentes atmosféricos nocivos à saúde] e do controle da qualidade do ar, até a conscientização para a preservação dos recursos naturais que podem ser colocados em prática no dia-a-dia, como a coleta seletiva.

 

Comentários do Facebook
Ronaldo Sá Oliveira
Sobre Ronaldo Sá Oliveira 243 Artigos
Diretor da RSO ASSESSORIA e PORTAL CONDOMINIO EM ORDEM CEO, especialista em normalização atuando em mais de uma centena de comissões técnicas nos últimos anos, dentre as quais ABNT NBR 14037 – norma de manuais de entrega; ABNT NBR 5674 – norma de gestão da manutenção; ABNT 16280 – norma de reforma (autor do texto base); ABNT NBR 15575 – norma de desempenho, ABNT NBR 16747 de inspeção predial etc. Prestador de assessoramento técnico, laudos, pareceres a condomínios e gestão de reformas. É assessor técnico de grandes entidades do setor imobiliário, construção e projetos, coordenador técnico de diversos manuais técnicos do setor e colunista de diversos canais voltados a construção e gestão de empreendimentos. whatsapp 11 99578-2550 ronaldo@rsoassessoria.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.