ENERGIA SOLAR É VIÁVEL MAS DEMANDA ESTUDO

SOLAR

Obter energia elétrica a partir da luz do sol parece sempre uma alternativa limpa, contudo, o procedimento é pouco utilizado pelas residências, escritórios e indústrias do Brasil. O principal motivo está relacionado aos custos e à falta de informação sobre a eficiência energética dos painéis fotovoltaicos. Além que para edifícios verticais, a área de coleta, muitas vezes, se torna insuficiente perante a demanda.

Em algumas cidades, já há políticas de apoio e incentivos ao sistema, em outras formas de contribuir para uma futura instalação, com obrigatoriedade do construtor deixar a infraestrutura, mas o assunto demanda de estudo de especialista e de previsão de resultados, que não podem se basear somente com a ideia de se fazer o bem ao mundo, sob o risco de um sistema ineficiente que não consiga atender a demanda do edifício, em todos os períodos.

Para a instalação, um estudo preliminar, deverá verificar o desempenho do sistema, com relação a área que se pretende instalar as placas e comparar com o percentual de taxa de economia que o mesmo poderá gerar, somente com este estudo o sindico poderá tomar a decisão se valerá a pena o investimento, frente a taxa de retorno e tempo para que a mesma ocorra.

A aplicação residencial também está se tornando mais comum, depois da resolução da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) 482/2012 sobre a energia solar distribuída. O brasileiro pode gerar sua própria energia elétrica de fontes renováveis ou de cogeração qualificada, além de receber créditos sobre o excedente produzido – essa produção é chamada de microgeração (inferior a 75 kW) e de minigeração (superior a 75 kW) distribuída. Isso incentivou o investimento de residências em painéis fotovoltaicos, pois proporcionam independência energética, causam menos impactos no meio ambiente e podem até gerar lucros. Além de gerar energia elétrica, as placas solares podem servir para o aquecimento de água, o que também traz uma economia de eletricidade ou gás.

Mas é possível instalar um sistema fotovoltaico em prédios? Sim, hoje é possível tornar seu condomínio mais sustentável utilizando energia solar por meio da geração compartilhada estipulada pela resolução 687/2015 da Aneel. Essa geração compartilhada é realizada por múltiplas unidades consumidoras, como é o caso dos condomínios. A energia elétrica gerada será compartilhada entre todos os apartamentos e também nas áreas comuns.

Comentários do Facebook
Ronaldo Sá Oliveira
Sobre Ronaldo Sá Oliveira 243 Artigos
Diretor da RSO ASSESSORIA e PORTAL CONDOMINIO EM ORDEM CEO, especialista em normalização atuando em mais de uma centena de comissões técnicas nos últimos anos, dentre as quais ABNT NBR 14037 – norma de manuais de entrega; ABNT NBR 5674 – norma de gestão da manutenção; ABNT 16280 – norma de reforma (autor do texto base); ABNT NBR 15575 – norma de desempenho, ABNT NBR 16747 de inspeção predial etc. Prestador de assessoramento técnico, laudos, pareceres a condomínios e gestão de reformas. É assessor técnico de grandes entidades do setor imobiliário, construção e projetos, coordenador técnico de diversos manuais técnicos do setor e colunista de diversos canais voltados a construção e gestão de empreendimentos. whatsapp 11 99578-2550 ronaldo@rsoassessoria.com.br