INSTALAR UM SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR, NÃO É COMO UM ELETRODOMÉSTICO

 

Sistemas que contribui parcialmente para o aquecimento da água, por meio de energia captada dos raios solares. Seu uso depender de atenção para o perfeito funcionamento, entre muitos destacamos:

  • Não efetuar testes do equipamento com água não potável ou com presença de detritos;
  • Caso haja válvulas anticongelantes no sistema, estas deverão ser retiradas e limpas antes do período de inverno;
  • Não colocar o sistema em operação caso o reservatório não esteja completo;
  • Efetuar os procedimentos necessários para que o sistema não funcione com presença de ar na tubulação.

Agora os edifícios que não possuem o sistema instalado, cabe a recomendação de que instalar um sistema de aquecimento solar, não é como um eletrodoméstico. Onde diferente da crendice popular, de que a instalação de um o sistema de Aquecimento solar, é algo simples, que basta ir a uma loja de materiais de construção e instalar em casa, o sistema demanda estudo e projeto por profissional habilitado, o qual irá levar em consideração dezenas de fatores que irão levar o sistema a ter um desempenho dentro do esperado.

Não é anormal, verificarmos sistemas de grandes obras de “engenharia” onde o sistema não levou em consideração diversos pontos importantes e normalizados para sua implementação, resultando em investimentos que levam a uma enorme frustação do cliente final.

Em linhas gerais o sistema o funcionamento inicia pela entrada de água fria no reservatório térmico o qual alimenta o coletor solar, onde os raios solares aquecem as aletas da superfície de captação, que transferem o calor à água que circula na serpentina, a água retorna para o reservatório térmico onde fica armazenada até o momento do consumo, o qual se dá pela distribuição por meio de tubulação até o (s) ponto (s) de consumo.

Diferente também de outros países ou locais onde o sistema é amplamente utilizado, temos a características da quantidade de andares, ou de unidades que o sistema irá atender, por exemplo prédios muitos altos onde a área onde as placas serão instaladas, não é suficiente a demanda de água aquecida necessária para atendimento de forma satisfatória.

Normas Técnicas Brasileiras ABNT para Sistemas Fotovoltaicos:

  • ABNT NBR 11704 – Sistemas Fotovoltaicos – Classificação: Esta norma classifica os sistemas de conversão fotovoltaica de energia solar em elétrica.
  • ABNT NBR 11876 – Módulos Fotovoltaicos – Especificação: Esta norma especifica os requisitos exigíveis e os critérios para aceitação de módulos fotovoltaicos para uso terrestre, de construção plana e sem concentradores, que utilizem dispositivos fotovoltaicos como componentes ativos para converter diretamente a energia solar radiante em elétrica.

Abaixo montamos um resumo das principais normas que devem ser levadas em consideração nos projetos de sistemas de aquecimentos solar.

  • ABNT NBR 15569 – Sistema de aquecimento solar de água em circuito direto – Projeto e instalação: Esta norma estabelece os requisitos para o Sistema de Aquecimento Solar (SAS), considerando aspectos de concepção, dimensionamento, arranjo hidráulico, instalação e manutenção, onde o fluido de transporte é a água.
  • ABNT NBR 15747-1 – Sistemas coletores térmicos e seus componentes – Coletores Solares. Parte 2: Requisitos gerais. Esta norma especifica os requisitos de durabilidade (incluindo resistência mecânica), confiabilidade, segurança e desempenho térmico dos coletores solares de aquecimento de líquidos. Também inclui as disposições para a avaliação das conformidades com esses requisitos.
  • ABNT NBR 15747-2 – Sistemas coletores térmicos e seus componentes – Coletores Solares. Parte 2: Métodos de Ensaio. Esta norma especifica os métodos de ensaio para a validação dos requisitos de durabilidade, confiabilidade e segurança e desempenho térmico dos coletores solares de aquecimento de líquidos, especificados na ABNT 15747-1.

Para elaboração de um projeto de SAS Sistema de aquecimento solar o mesmo deverá seguir os seguintes passos, em conformidade com a ABNT NBR 15569:

  1. Premissas de cálculo;
  2. Dimensionamento;
  3. Fração solar;
  4. Memorial descritivo;
  5. Volume de armazenamento;
  6. Pressão de trabalho;
  7. Fontes de abastecimento de água;
  8. Área coletora;
  9. Ângulos de orientação e de inclinação dos coletores solares;
  10. Estudo de sombreamento;
  11. Previsão de dispositivos de segurança;
  12. Massa dos principais componentes;
  13. Considerações a respeito de propriedades físico-químicas da água;
  14. Localizações, incluindo endereço;
  15. Indicação do norte geográfico;
  16. Planta, corte, isométrico, vista, detalhe e diagrama esquemático, necessários para perfeita compreensão das interligações hidráulicas e interfaces dos principais componentes;
  17. Esquema, detalhes e especificação para operação e controle de componentes elétricos (quando aplicável);
  18. Especificação dos coletores solares e reservatórios térmicos;
  19. Especificação de tubos, conexões, isolamento térmico, válvulas e moto bomba;
  20. Tipos e localização de suportes e métodos de fixação de equipamentos, quando aplicável;

O usuário do SAS deve solicitar e manter os seguintes documentos, do sistema, pois o mesmo necessita fazer parte do plano de gestão da manutenção da edificação, em conformidade com a ABNT NBR 5674, de modo que suas características de desempenho permaneçam dentro do esperado durante toda sua vida útil:

  1. Projeto;
  2. Manual de operação e manutenção;
  3. Anotação de responsabilidade técnica (ART) de elaboração do projeto;
  4. Anotação de responsabilidade técnica (ART) de instalação;
  5. Registros de manutenção
Comentários do Facebook
Ronaldo Sá Oliveira
Sobre Ronaldo Sá Oliveira 243 Artigos
Diretor da RSO ASSESSORIA e PORTAL CONDOMINIO EM ORDEM CEO, especialista em normalização atuando em mais de uma centena de comissões técnicas nos últimos anos, dentre as quais ABNT NBR 14037 – norma de manuais de entrega; ABNT NBR 5674 – norma de gestão da manutenção; ABNT 16280 – norma de reforma (autor do texto base); ABNT NBR 15575 – norma de desempenho, ABNT NBR 16747 de inspeção predial etc. Prestador de assessoramento técnico, laudos, pareceres a condomínios e gestão de reformas. É assessor técnico de grandes entidades do setor imobiliário, construção e projetos, coordenador técnico de diversos manuais técnicos do setor e colunista de diversos canais voltados a construção e gestão de empreendimentos. whatsapp 11 99578-2550 ronaldo@rsoassessoria.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.